6 oportunidades de networking que a correspondência jurídica traz

Fazer sua networking jurídica é cada vez mais importante. Além de ser a forma clássica de se fazer conhecido no meio jurídico, garante maior segurança e uma fluxo constante de clientes.

A correspondência jurídica pode oferecer excelentes oportunidades de networking. Confira, a seguir, seis delas!

1. Contactar potenciais clientes

Uma das maiores vantagens da correspondência jurídica é a possibilidade de estar em contato com outros escritórios ou diretamente com clientes. Esse primeiro contato pode ser nutrido para que se torne uma conexão mais sólida e integre o seu networking.

Ou seja, a visibilidade que a correspondência jurídica proporciona permite travar conhecimento com uma ampla gama de potenciais clientes. Para aproveitar isso, é preciso investir no contato pessoal e no engajamento, assim como na execução das diligências, a fim de torná-los parte da sua networking, seja para novas diligências ou indicações.

2. Especializar-se em uma área

Um especialista é sempre uma referência e passa maior segurança. Assim, quando um advogado começa a carreira, tanto como correspondente jurídico como na advocacia localizada, é de unânime opinião que deve procurar concentrar seus conhecimentos e esforços em uma área do direito. Isso possibilita, a médio e longo prazo, criar uma reputação, agregando valor a seu networking.

3. Diversificar atuação

Parece contraditório dizer que se deve diversificar a atuação na correspondência jurídica, quando também se diz que o ideal é especializar-se. Mas, na verdade, uma coisa pode ser complementar a outra. A advocacia correspondente permite entrar em contato com muitos campos do direito, instâncias administrativas e temas desconhecidos. Muitos desses não possuem especialistas suficientes na seccional do advogado, por exemplo, ou são áreas novas, na qual há grande possibilidade de crescimento.

Aproveite a correspondência jurídica para ampliar suas bases de conhecimento e experimentar novidades. Quem sabe uma delas não é justamente a área em que poderá se tornar um grande especialista?

4. Conhecer os fóruns e tribunais

O networking de um advogado não se faz apenas com clientes e outros profissionais do direito, mas na lida diária e entendimento do funcionamento dos fóruns, tribunais e instâncias administrativas de sua região. A correspondência jurídica pode levar a lugares novos, nos quais travar bons contatos pode ser de grande valia futura. Aproveite essas oportunidades para ampliar mais sua rede com servidores, secretários, assistentes, juízes e outros profissionais jurídicos e administrativos.

5. Mostrar seu trabalho

Para que se concretize a formação do networking, não basta ter o contato, é preciso mostrar sua capacidade de trabalho e como pode ser melhor que seu concorrente. Por isso, sempre realize seu trabalho com excelência, pois esse é seu principal cartão de visitas. Bons profissionais são recomendados.

Por isso, é importante sempre realizar um bom trabalho, saber de onde veio a indicação e procurar atualizar-se sempre. Preveja os problemas, atue com diligência e informe com clareza. Assim, seu trabalho será reconhecido e sua networking se expandirá ainda mais.

6. Saiba dizer não

Se estiver muito atarefado, não ter certeza que poderá realizar bem a diligência ou faltar know-how, saiba dizer não ao cliente. É importante negar alguns trabalhos, se a opção for fazê-lo com negligência. Aproveite a oportunidade para deixar clara sua disponibilidade futura e, mais importante, indique alguém. Assim, você fortalecerá sua imagem de profissional e também sua networking.

Essas são seis das muitas oportunidades de networking que a correspondência jurídica oferece? Conhece mais alguma? Quer dividir sua experiência? Então comente abaixo!

Commentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *