Como está o mercado para o advogado mediador?

Diante da morosidade da nossa justiça, cada vez mais as pessoas envolvidas em litígios buscam formas alternativas para a resolução de seus conflitos, temas que vem ganhando relevância com o novo código de processo civil.

A partir da entrada em vigor do Marco Legal da Mediação, poucos dias antes de 2016, o poder público, visando reduzir a enorme carga de processos, disponibilizou meios para a resolução de conflitos por meio de um mediador que auxilia as partes para celebrar um acordo.

O que é a mediação?

A mediação é um método voluntário que permite às partes que vivenciam um conflito nas diversas esferas do direito a oportunidade de um acordo que seja satisfatório.

Para atingir o objetivo, uma terceira pessoa, imparcial e capacitada, conduz o processo de forma a propiciar um ambiente em que as próprias partes, conduzidas pelo mediador, construam o acordo, evitando assim longas demandas judiciais.

Quais são as perspectivas da mediação no Brasil?

As perspectivas para a evolução da mediação no Brasil são enormes.

A tendência da advocacia moderna é disponibilizar serviços mais céleres e efetivos para os seus clientes, e os métodos que permitam oferecer um tratamento mais humanizado para um resultado que satisfaça as expectativas, certamente evoluirão.

O profissional que aliar as técnicas de mediação ao conhecimento jurídico certamente terá destaque na área. Nesse sentido, o advogado mediador terá papel preponderante na mediação.

Qual é o papel do mediador?

O mediador é aquele que facilita a comunicação entre as partes interessadas, por meio de técnicas próprias de resolução de conflitos.

É um elemento que atua de maneira imparcial e independente, não cabendo a ele prestar naquele momento assessoria jurídica ou técnica, nem sugerir soluções, mas conduzir os envolvidos para que cheguem ao consenso de maneira colaborativa e construtiva.

As funções do mediador

  • promover o respeito mútuo entre os envolvidos;
  • conhecer os motivos do conflito e os anseios dos mediados;
  • facilitar o diálogo entre as partes;
  • intervir quando necessário;
  • incentivar a criação de alternativas para a resolução do conflito;
  • auxiliar na análise das opções de soluções surgidas durante a discussão;
  • certificar-se de que as opções criadas satisfaçam os interesses das partes envolvidas;
  • construir um acordo definitivo que seja duradouro, exequível e aceito pelas partes.

A advocacia na mediação

Nos últimos tempos ocorreu uma verdadeira massificação da advocacia, trazendo prejuízos para a profissão, causados principalmente pela baixa qualificação profissional, sendo que o jovem advogado deve encontrar formas para evoluir profissionalmente.

Poucas instituições de ensino de direito atualizaram seus currículos para adicionar a mediação tornando uma grande oportunidade para quem agora ingressar nessa área.

Para se estabelecer no atual mercado de trabalho, o advogado deve observar os preceitos éticos que norteiam a profissão, notadamente no que diz respeito ao conhecimento do direito de seu cliente e a busca concreta e eficaz da solução mais adequada.

Também é função primordial do advogado colaborar com o judiciário na composição dos litígios, e é justamente aí que se materializa a importância e se justifica a tendência de evolução do campo de atuação do advogado mediador. Veja também como atuar com mediação e conciliação.

Diante dos preceitos atuais do direito, a mediação é um campo em expansão que necessita de profissionais especializados e plenamente habilitados, e exigirão do advogado mediador uma mudança de paradigma para se adaptar a essa nova e promissora realidade.

Esperamos que o artigo tenha sido útil para o seu futuro profissional. Se ainda restou alguma dúvida sobre o mercado para o advogado mediador, deixe seu comentário. Teremos prazer em responder as suas mensagens!

 

Esse texto é uma produção de conteúdo da Ambra College.
A Ambra é uma instituição de ensino superior dos Estados Unidos da América focada em brasileiros expatriados ofertando cursos de graduação e pós-graduação nas áreas de negócios e direito brasileiro.

Commentários

comments